Publicidade

loading...

Dicas de Orquidófilo Sobre Substratos

08:31:00



Plantio e Cuidados Com Orquídeas



Novos substratos: Novos Substratos Alternativos para o replantio de orquídeas, visando à substituição e conservação da Dicksonia Sellowiana (Xaxim).

Nos últimos anos vem sendo feitos experimentos com substratos alternativos visando a substituição do xaxim para o replantio de orquídeas epífitas e outras plantas que necessitam do xaxim para sua sobrevivência e fixação.

Temos feito experimentos em nossas estufas de crescimento com a fibra do côco, a casca de pínus e o último pouco conhecido entre os orquidófilos que é o cone do pínus (aquele fruto que se fixam às sementes do pínus).
Todos estes produtos são passados por um longo processo de tratamento para a retirada do tanino e esterilização, para poderem ser aproveitados com maior eficiência dentro dos vasos de orquídeas.

Característica dos produtos:

Fibra do côco:
Se trata de um substrato com características de plantio e umidade bem parecida com o xaxim, com uma boa fixação boa umidade e média ventilação para as raízes. É um substrato quase inerte de nutrientes tendo que fazer uma adubação mais sequencial se comparado com o xaxim.


Casca de Pínus:
Este já é um substrato bem mais conhecido entre os orquidófilos e cultivadores de plantas. É um substrato com média fixação da planta no vaso, sendo obrigado à utilização em alguns casos de um tutor para fixar melhor a planta no vaso. A casca conserva o índice de umidade no interior dos vasos entre média a baixa sendo necessária uma maior freqüência de regas se comparado com o xaxim e a fibra de côco. É um substrato que, como a fibra de côco é necessária uma maior freqüência de adubações para a planta se desenvolver bem.


Cone do Pínus:
Sendo um substrato mais atual, seus testes começara aproximadamente em Janeiro de 2004 e os resultados até o momento foram surpreendentes se comparados com outros substratos alternativos. É um substrato que fixa uma umidade bem parecida com a do xaxim, por esse motivo o cultivador não precisou diferenciar suas regas em comparação aos outros substratos citados acima. Sua fixação é melhor que a da casca de pínus e mais inferior ao côco, sendo que em alguns casos um tutoramento seja necessário. Temos que adubar com uma maior freqüência também, pois é um substrato que não contem quase nutrientes, servindo apenas para a fixação da planta.
Maneiras que alguns produtores e colecionadores estão usando esses substratos em conjunto para tentar obter melhores resultados e um melhor equilíbrio na hora do plantio e da rega de suas plantas.


• Uma parte de fibra de côco para três partes de cone de pinus;

• Uma parte de fibra de côco para três partes de casca de pinus;
• Duas partes de fibra de côco para três partes de cone de pinus;
• Duas partes de fibra de côco para três partes de cone de pinus;
• Meio a meio de fibra de côco com casca de pínus ou cone de pinus.



Dicas de Cultivo da Cattleyas

Vamos tentar de um modo simplificado apoiar o orquidófilo, tanto o colecionador quanto o profissional, dando dicas de cultivo visando o enfoque nos novos substratos que estão entrando no mercado atualmente.

Começaremos tratando de um gênero mais conhecido entre os orquidófilos e amadores que são as Cattleyas.


Cattleyas:




Luminosidade:
As cattleyas de um modo geral podem sem cultivadas tanto em ambiente protegido como em telados, com algumas exceções com plantas amarelas que para florirem bem é melhor ser cultivada em ambiente protegido.
A quantia ideal de luz para a maioria das cattleyas seria um sombreamento em torno de 60%. No mercado atualmente é possível comprar estas telas de sombreamento com esta malha facilmente.
Ainda dentro do fator luz, vai uma dica muito importante para quem gosta de sempre estar mexendo com suas plantas, tirando-as do lugar para olhar ou mesmo para curtir sua florada dentro de casa.
Nunca mude o vaso de posição após recolocá-lo na bancada, caso isto ocorra a planta irá sentir a diferença podendo não florir no ano seguinte.
Coloque sempre a frente da planta (o broto novo) para a direção do sol das 8:00, esta é a posição correta para uma melhor vegetação da mesma.
A cor ideal para a folha das cattleyas é o verde alface, caso a folha esteja muito escura a planta poderá vir a não florir.
A cor amarelada é sinal de excesso de luminosidade, podendo vir a queimar as folhas dando um aspecto feio e irreversível.
As dicas de cultivo acima são para plantas adultas, sendo que para seedlings é aconselhável uma tela de 70% para sua melhor vegetação.

Regas:
Normalmente a pergunta é sempre a mesma: quantas vezes devo molhar a planta por semana? Ou, devo molhar minhas plantas todos os dias?
Essas são as duvidas mais freqüentes entre os cultivadores de orquídeas! Mas a regra é básica...
Normalmente aconselhamos as pessoas a molharem suas plantas quando o substrato estiver seco, (não totalmente desidratado), é que tem pessoas que só molham suas plantas quando elas estão quase secando os pseudobulbos. Então fica claro, se secar a cada 2 dias, deve-se molhar a plantas a cada 2 dias, se demorar 5 dias para secar, molha-se apenas quando estiver seca.
Mas o ideal é você colocar suas plantas aonde não demore muito para secar, pois isso é indicio que o local que estão suas plantas é um local de pouca ventilação, podendo acarretar doenças relacionadas à pouca ventilação.
Adote o seguinte procedimento quanto às regas de suas plantas:
Molhe as plantas quantas vezes secarem na semana (uma rega leve), e uma vez por semana uma rega mais rigorosa, deixando o vaso bem molhado. Este tipo de procedimento vai te trazer muitos benefícios. Então fica a critério de cada um qual procedimento adotar para suas plantas, mas desde que não fuja muito desta regra.

Adubação:
1. Quando e como devo adubar minhas plantas?
2. Com que freqüência deverá ser feita?
3. Devo adubar nos meses frios do ano?
4. Posso adubar uma planta quando ela está com espata?
5. E quanto aos adubos orgânicos, devo usar?

Essas são algumas perguntas que os orquidófilos mais fazem para a gente quanto se trata do fator adubação. Então vamos lá:
A questão de quando adubar uma planta varia de cultivador pra cultivador, não tendo regra geral nesse aspecto também. Muitas pessoas adubam mensal, outras quinzenal, semanal e assim por diante. Dentre as circunstancias que pudemos observar é o seguinte: A orquídea tem crescimento lento se comparado com outras plantas como o crisântemo, a violeta, dentre outras. Então o correto é fazer adubações quase que diárias com dosagens bem homeopáticas, porque a planta "se alimenta" todo dia mas em quantidades pequenas se comparado às outras plantas mais comuns.
Então usamos a dosagem indicada pelo fabricante do adubo e dividimos por 7 ou 10 a dosagem, por exemplo: Se na embalagem do adubo marcar 2 gramas por litro, podemos pegar as mesmas 2 gramas e colocar em 7 ou 10 litros de água.







Como Fazer esta Adubação:
Ela poderá ser feita tanto com pulverizações como na rega diária, aconselhamos fazer a rega diária, pois a planta não absorve apenas por via foliar, mas também pelo sistema radicular (raízes).


Em que Horário Devemos Adubar / Molhar?
Este poderá ser feito na parte da manhã, principalmente nos dias frios, para a planta não "dormir" com os pés molhados, e também para que a planta consiga assimilar melhor o adubo. Na parte da tarde o sol forte pode causar queimaduras nas plantas, então faça antes das 10:00 da manhã.

Posso ou Devo Adubar Minhas Plantas nos Meses de Inverno?
Não vemos inconveniente em adubação nos meses frios do ano, ainda mais com plantas que estão em pleno desenvolvimento (brotação), tem que adubar sim!

E Quando a Planta Está com espata (Pronta para Florir), Devo Adubar?
Nesta outra situação não vemos o inconveniente em estar adubando a planta também, pelo contrario, uma planta bem nutrida dará uma melhor durabilidade nas flores.

Outra questão que cai sempre em polemica é quanto a adubação orgânica. Devemos usar? A planta precisa? Qual adubo orgânico é bom?
O correto seria fazer a adubação orgânica nas plantas na fase a partir do vaso 7 (7cm de boca), na fase anterior fica meio crítico o uso desses adubos mais incorporados.

Mas o adubo químico que eu compro não é completo? Pra que usar o orgânico?
Eis a questão: Isso vai de cada um, há quem goste de estar diversificando a adubação de suas plantas, usando adubo orgânico, são sais e matérias em composições diferentes pra elas, não há nada de errado em usar, sei de colecionadores que tiveram ótimos resultados fazendo sua própria mistura de adubo orgânico, inclusive existem no mercado, em floriculturas e viveiros diversos tipos a venda.
A quantidade de uso para um vaso adulto é de uma colher de café a cada 60/70 dias, isso dá uma media de 4 a 5 aplicações anuais.
Sempre digo que não existe uma formula específica para se cultivar orquídeas, são muitos fatores, mas só um é determinante para o sucesso de suas plantas, sua vontade. Cuide delas como se fossem "bebês", interpretando suas vontades e necessidades e tudo vai dar certo, seu comprometimento é fundamental para o sucesso. 







GRAMADOS - TIPOS DE GRAMA

Postagens Relacionadas

0 comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
blog search directory Diretório de Blogs Comentar/adicionar no Comentarium Home & Garden Blogs
Home & Garden online
20 Minutos
Follow me on App.net Review http://www.multiflorafernandopolis.blogspot.com on alexa.com GeraLinks - Agregador de links Ver! Follow on Bloglovin