Publicidade

loading...

Flores em Você

19:21:00


Quem nunca ficou curioso para saber a procedência ou o significado de seu nome ou de familiares e amigos? Mas e o nome das plantas como surgiram? Durante milhares de anos, o homem primitivo trocou informações pormenorizadas sobre as plantas e suas propriedades curativas e alimentares. Em cada região as plantas tinham diferentes denominações populares, dificultando com isso sua identificação. Para facilitar o conhecimento das diversas plantas, Plinius, Aristóteles e Teofrastus grandes cientistas do seu tempo, dividiram o reino vegetal em três grandes grupos: ervas, árvores e arbustos, que foi aceita quase sem alteração durante a maior parte da Idade Média. Mas nos séculos XV e XVI, os botânicos e naturalistas traziam de cada viagem, conhecimentos novos para o continente, o que tormava indispensável revisões constantes em todas as ciências e no caso da Botânica (do grego Botané = erva, pasto, planta forrageira) não poderia ser diferente. O italiano Andrea Caesalpino publicou em Pisa o primeiro sistema com definições claras e exatas, que dividiu as plantas segundo a constituição dos frutos e suas sementes. O novo método constituiu até o fim do século XVII, a base da Botânica na maior parte do mundo. Também foi de pouco a pouco o paladar, o olfato e o tato cedendo lugar a descrições por palavras e imagens, como a forma das folhas ou a cor e as características das flores, sendo introduzidas inclusive nos livros universitários dos estudantes de Medicina. Somente no século XVIII que o famoso naturalista sueco Karl Von Linné (Lineu) estabeleceu uma classificação baseada na nomenclatura binária. As plantas foram designadas por nomes latinos ou derivados do grego, formados por duas palavras, a primeira, constituindo o gênero (escrito sempre com a letra inicial maiúscula) e a segunda, a espécie (sempre com a letra inicial em minúscula). Os nomes dados às plantas podem ser de pessoas ex: Sinningia speciosa (gloxínia) em homenagem a W. Sinning - horticultor alemão; outras vezes o nome pode derivar de características morfológicas da planta como o chifre-de-veado Platycerium - do grego: platys, largo e keras, chifre, ou ainda o nome pode indicar o local de descoberta da planta como: Lonicera japonica originária da China e Japão (madressilva). O método de Lineu é utilizado até os dias de hoje, seguindo as normas do Código Internacional de Nomenclatura Botânica. Com estas normas de classificação, as plantas passaram a ter um nome científico aceito em todo o mundo. As pesquisas dos botânicos são contínuas e incessantes. Esses pesquisadores viajantes se esforçam persistentemente em visitar regiões inexploradas e contribuem muito na descrição e catalogação de inúmeras novas plantas ainda desconhecidas e que certamente poderão favorecer a humanidade no campo da Botânica. Essas descobertas favorecem hoje em dia dezenas de outras ciências que vão da Bioquímica à Geografia, História, Economia e Sociologia. Uma publicação londrina com o nome de Index Kewensis, elaborada por alguns taxonomistas reunide, sistematiza, cataloga e atualiza informações de tudo o que vem sendo descoberto de mais novo no surpreendente reino vegetal. Vale a pena conferir. Floricultura Multiflora Fernandopolis, siga-nos no twitter.com/multifloranet

Postagens Relacionadas

4 comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
blog search directory Diretório de Blogs Comentar/adicionar no Comentarium Home & Garden Blogs
Home & Garden online
20 Minutos
Follow me on App.net Review http://www.multiflorafernandopolis.blogspot.com on alexa.com GeraLinks - Agregador de links Ver! Follow on Bloglovin